Tendo como ponto de partida o artigo anterior, “Velhos são os trapos”, venho hoje falar da opção de se manter activo sem entrar no mundo dos Health Clubs.

Podemos olhar para esta escolha como sendo uma opção 2 em 1, em que se junta a actividade física com o benefício de vivenciar o mundo exterior.

São muitas as opções e deixe que a imaginação seja um mundo de escolhas e não um mundo de complicações.

Mergulhe e deixe-se levar por um caminho amplo, maravilhoso e onde cada canto será uma nova descoberta.

Principais vantagens:

  • Treinar no exterior ajuda a melhorar o estado de espírito e reduz o sentimento de depressão.
  • Total liberdade de horário, pois aqui não tem qualquer obrigatoriedade para fazer exercício num período fixo. Pode escolher o que mais lhe convém, ajustando cada dia às obrigações diárias.
  • Liberdade e diversidade de cenário não vão faltar, sendo uma grande mais-valia. Pode ser a praia, o jardim, a cidade, o campo … tudo é possível!
  • Se gosta de companhia, poderá escolher quem quiser. Não precisa de ser sócio, familiar ou amigo autorizado. Pode ainda ser um animal de estimação, que acredite, vai delirar com o passeio.
  • Mais Low Cost do que isto é impossível. Aqui não há inscrição, renovações, seguros, mensalidades, extras e penalizações.
  • Quando o pouco tempo disponível é um factor crucial no sucesso desta nova rotina, a opção do exterior é bastante vantajosa pois não irá perder tempo na deslocação, tempo de espera antes de aulas, nos balneários, etc.
  • O contacto com a natureza é algo que deverá explorar. Porque não acabar o passeio de bicicleta numa esplanada com vista para o mar? Ou um passeio a terminar num parque com vista para o lago? Pode ainda juntar a leitura de um livro à sombra de uma árvore. Tudo rodeado de bem-estar e descontracção.
  • A combinação entre o ar livre, relva, árvores e todas as cores e cheiros da natureza influenciam de forma positiva o nosso equilíbrio físico e psicológico.
  • Fazer exercício no exterior, durante o dia, tem ainda a grande vantagem de favorecer a retenção de vitamina D, cujo sintoma mais comum de deficiência é um aumento no risco de doenças ou infecções.
  • Se o tempo não estiver propício para sair de casa, poderá transformar a sala num pequeno campo de treino. Use a cadeira para fazer agachamentos, treinar o equilíbrio, flexões ou, quem sabe, fazer uns abdominais.

Infelizmente, como em tudo, existem algumas desvantagens de que não se deve esquecer para poder fazer uma escolha equilibrada e mais ajustada ao seu estilo de vida.

Principais desvantagens:

  • A falta de acompanhamento é uma das principais desvantagens pois não dispõe de técnicos prontos a auxiliá-lo sempre que necessário ou a instruí-lo sobre a melhor forma de atingir os seus objectivos. Não dispõe de um sistema montado e preparado para o receber, auxiliando-o em cada obstáculo, seja ele psicológico ou físico.
  • A ausência de obrigações poderá levar algumas pessoas a não se comprometerem e a perderem-se num mar de boas intenções.
  • É necessária disciplina para se manter nos eixos. Não existe ninguém que o obrigue a sair de casa e embora seja possível criar uma rotina, esta requer uma maior força interior.
  • O factor clima não o vai deixar em paz. Pode chover, pode estar frio, ou mesmo trovejar, mas o mundo está lá fora à sua espera. Não vai ter um parque de estacionamento seco, nem um balneário com uma sauna. Terá mesmo de calçar uns sapatos confortáveis e embarcar numa aventura inesperada que inclui água e eventuais poças de lama.
  • O mundo infindável de desculpas, sinónimo de mais um dia sem exercício, vai estar em cima do seu ombro a puxá-lo para o sofá. Manter-se fiel ao compromisso feito consigo mesmo é a sua salvação.

 

Sinta as vantagens e afaste-se das desvantagens.

Tome consciência delas, mas não se deixe intimidar, e lembre-se de que:

Não é preciso ser bom para começar, mas necessita de começar para ser bom!!

Tânia Arandes