Sentir as pernas cansadas é algo muito comum hoje em dia. Isto pode dever-se ao dia a dia frenético, mas também ao sedentarismo. Pode parecer um mal passageiro, mas é mais do que isso. Esta sensação é uma forma do nosso corpo não nos alertar para uma doença venosa, tal como a má circulação. Como terapeuta especializada em drenagem linfática, alerto para os perigos deste sintoma e revelo em baixo como é possível combatê-lo e ter uma vida mais saudável.

Causas

Os dois principais fatores que podem desencadear o fenómeno de pernas pesadas são as condições de trabalho e gravidez. Destacam-se as profissões que exigem períodos longos em pé ou sentado.

Consequências

– Tem de fazer mais esforço para contrair a gravidade

– Aumenta a acumulação de sangue nas pernas e a distensão das paredes das veias

– Não promove o retorno do sangue, que normalmente é facilitado pelo movimento

– Provoca a dilatação das veias e reduz o retorno venoso

– Reduz o suporte das paredes das veias situadas nos músculos

– Causa o estreitamento dos vasos, reduz o diâmetro e aumenta também a pressão sanguínea

Conselhos Práticos

Mexa-se! As suas pernas agradecem. Pratique atividades leves e relaxantes como:

– Caminhar, andar de bicicleta, nadar ou fazer ginástica, duas a três vezes por semana, pelo menos 45 minutos

– Andar à beira-mar com água a bater nas pernas: o efeito de massagens é garantido! Sempre que possível, frequente uma clínica e experimente drenagem linfática.

Evite ao máximo

– Solário

– Sauna

– Banho turno

– Depilação com cera quente

– Exposição prolongada a fontes de calor ou do sol

– Roupas justas

3 Sinais de alerta que não deve ignorar

– Dores agudas e desagradáveis ao nível dos músculos das pernas, nomeadamente durante períodos de imobilização longos, como, por exemplo, durante a noite.

– Pés, tornozelos e barriga das pernas inchados (por vezes extremamente inchados), devido a uma aumento da permeabilidade das paredes das veias.

– Aparecimento de veias à superfície da pele devido à deformação destas.

Maus hábitos

– Sedentarismo

– Imobilidade prolongada

– Falta de atividade física

– Tabagismo

– Exposição prolongada a uma fonte de calor (sol, solário, aquecimento)

Faca você mesmo

– Durma com pés elevados, acima da linha do corpo. Para tal, coloque uma almofada no fundo da cama e coloque as pernas em cima

– Sempre que possível use collants de contenção

– Opte por sapatos com solas flexíveis, que ajudem a amortecer o choque e com saltos médios (3 a 4 cm)

– No duche, aproveite para passar com o chuveiro de agua fria nas pernas, de baixo para cima

– Sempre que possível, use sapatos ou sandálias abertas, pois não apertam os pes

– Quando viaja, tente movimentar-se. Se viajar de avião, levante-se e caminhe pelos corredores durante o voo

– Uma massagem após o duche ativa a circulação

CUIDE DE SI!!

 

Sónia Santos