Mas para os que já são, peço desculpas!

Temos no século XXI a melhor tecnologia de sempre, no entanto nunca estivemos mais ignorantes, achamos que sabemos tudo. O ser humano de hoje especializou-se de tal forma na sua área que dificilmente sobreviveria no campo, com a agricultura, no tempo dos nossos avós e bisavós. Estamos tão dotados de algoritmos, apps, downloads e touch screens que se nos dessem umas sementes de trigo para plantar, não saberíamos como, onde, nem quando o fazer. Estamos realmente mais dependentes, mas cheios de mestrados e pós-graduações. Cheios de informação e tão pouco conhecimento…

Vamos parar com esta paranóia de querer ser perfeito. E se é para o fazer, então que seja para tudo. Que não seja apenas para o que gostamos de fazer. E se é para o que gostamos de fazer, então que seja para nós e não para os outros ou para uma aprovação.

Mas vamos lá parar com esta parvoíce de querer ser perfeito. Não há corpos perfeitos, não há homens perfeitos, não há lugares perfeitos, não há vidas perfeitas, não há empregos perfeitos, não há perfeição, ponto.

“A ideia de perfeição constitui uma imperfeição humana” – Carlos Drummond de Andrade

Somos seres humanos e somos todos diferentes, certo? Então, se somos diferentes fisicamente, fisiologicamente, psicologicamente, emocionalmente, espiritualmente e muitos outros “mentes”, por que raio haveremos de querer ser perfeitos? Aos olhos de quem, se somos todos diferentes? Se temos experiências, vivências, relações diferentes?

Buscar a perfeição para ser perfeito é tolice mas buscá-la para melhorar é perfeito.

Continuamos na busca da perfeição que nunca chega, nunca é suficiente, queremos mais. Mais informação, mais dinheiro, mais saúde, mais, status, mais amor, mais, mais, mais…

Até ser perfeito! Parece um vírus. Um vírus no computador da nossa mente que nos foi instalado algures no nosso percurso da Vida.

Se querer ser perfeito fosse o objetivo e aceitássemos essa plenitude quando a adquiríssemos não teríamos evoluído até aos dias de hoje. Inovamos todos os dias, criamos todos os dias, melhoramos todos os dias. O ser humano nunca será perfeito, no entanto poderá ser sempre melhor. Podemos sempre melhorar o nosso melhor! E o resultado são grandes atletas, artistas, líderes.

Quando percebermos que no final das nossas vidas, no dia D que deixarmos este mundo, percebemos que o que realmente queríamos, era viver um pouco mais. Percebemos que a perfeição afinal nunca chegará, aliás, nesse dia, no dia D, que se f**a perfeição.

Não somos perfeitos, somos únicos

Não seremos perfeitos, seremos únicos

 

Até breve

Luis Barbudo