Temos de acreditar e de ter fé. Seja o que quisermos manifestar nas nossas vidas vai acontecer. Nada tem a ver com religião mas numa capacidade, numa força interior, num querer, numa obsessão saudável.

“Não é preciso ver para acreditar, mas acreditar para ver”

Vivemos numa sociedade de experimentações. Experimentamos tudo e não fazemos nada. Testamos todas as maneiras mas não insistimos, não aprendemos com o erro, não ajustamos, não somos flexíveis a uma abordagem diferente.

Às vezes tudo corre bem, as vezes não; às vezes estamos doentes, tristes e deprimidos e as vezes estamos eufóricos, entusiasmados e felizes, as vezes é ouro sobre azul, outras vezes nem vale a pena sair da cama. É a isto que chamamos de Vida! E vai continuar a acontecer mas é importante acontecermos para a Vida e não a deixemos que ela aconteça para nós.

Vejo que muitos adultos se comportam como crianças e se não têm aquilo a que se propuseram, ou aquilo em que investiram num curto período de tempo entram naquilo que Tony Robbins designa pelo ciclo do (In)sucesso:

Ciclo-do-Sucesso

Do seu livro Poder Sem Limites, Tony cita:

“Digamos que uma pessoa tem uma crença de que é ineficaz em alguma coisa. Digamos que ela fique dizendo que é um mau estudante. Se ela tem expectativas de fracasso, quanto do seu potencial vai usufruir? Não muito. Ela já disse a si mesma que não sabe. Já sinalizou o seu cérebro que espere fracasso… Se você está convencido de que vai falhar, por quê fazer tentativas para tentar esforçar-se?… Você tomou medidas experimentais e indiferentes. Que espécie de resultados saíram de tudo isso? É provável que sejam bastante desanimadores. O que esses resultados desanimadores farão para as suas crenças com relação a subsequentes empenhos? Provavelmente irão reforçar as crenças negativas que começaram toda a cadeia… Fracasso gera fracasso. Pessoas que são infelizes e que vivem “vidas partidas” têm estado há tanto tempo sem ter os resultados que desejam, que não acreditam que possam consegui-los. Fazem pouco ou nada para explorar os seus potencias e começam a tentar procurar como manter as suas vidas onde estão, fazendo o mínimo possível.

Olhando de um outro ângulo. Digamos que você começa com grandes esperanças. Mais do que esperanças, você acredita com cada fibra do seu ser que terá sucesso. Começando com essa comunicação direta, clara, do que você sabe ser verdade, quanto do seu potencial você usará? Provavelmente uma boa quantidade. Que espécies de medidas tomará desta vez? Vai arrastar-se e fazer uma tentativa indiferente? Claro que não. Você está excitado, energizado, tem grande esperanças de sucesso, vai fazer sucesso rapidamente. Se mostra esse tipo de esforço que tipo e resultados serão gerados? Há possibilidade que sejam muito bons. E o que faz para a sua crença em sua capacidade de conseguir grandes resultados no futuro?  É o oposto do ciclo vicioso. Neste caso o sucesso alimenta sucesso e gera ainda mais sucesso, e cada sucesso cria mais crença e momentos para serem bem sucedidos numa escala maior.”     

Acreditar não é uma ferramenta opcional para melhorar o desempenho mas antes uma ferramenta fundamental e necessária à conquista dos nossos objetivos, dos nossos sonhos!

Até breve!!

Luis Barbudo